TRANSCENDÊNCIA.

Minha foto
Meu nome completo é Ivone Henriques Sato, sou casada e feliz por ter encontrado o amor em minha Vida com "V" MAIÚSCULO,como costumo dizer e escrever, aqui deixo meus pareceres sobre a Vida, minha linda e amada Vida que ganhei de presente. Sim, de presente, viver é mesmo um lindo presente, portanto agradeço imensamente, principalmente aos meus familiares queridos, meu casal de filhos, casados, felizes, meus netos amados, dois lindos casais, hoje estão ficando adolescentes, eu, ah, sou uma sexagenária feliz da vida!!!

domingo, 29 de novembro de 2015

Poema Enjoadinho de Vinícios de Morais.

"Filhos... Filhos?/ Melhor não tê-los!/ Mas se não os temos /Como sabê-lo? /Se não os temos /Que de consulta/ Quanto silêncio /Como os queremos!/ Banho de mar/ Diz que é um porrete... /Cônjuge voa/ Transpõe o espaço /Engole água /Fica salgada/ Se iodifica /Depois, que boa/ Que morenaço/ Que a esposa fica!/ Resultado: filho./ E então começa/ A aporrinhação: /Cocô está branco /Cocô está preto /Bebe amoníaco/ Comeu botão./  Filhos? Filhos /Melhor não tê-los/ Noites de insônia /Cãs prematuras /Prantos convulsos /Meu Deus, salvai-o! /Filhos são o demo/ Melhor não tê-los... /Mas se não os temos/ Como sabê-los? /Como saber /Que macieza /Nos seus cabelos /Que cheiro morno /Na sua carne/ Que gosto doce/ Na sua boca! /Chupam gilete/ Bebem shampoo/ Ateiam fogo/ No quarteirão /Porém, que coisa/ Que coisa louca /Que coisa linda/ Que os filhos são!"

Sempre me lembro desse poema, quando o li lembrei dos meus pais, daí nunca mais o esqueci. Minha mãe me contou que meu pai não queria filhos, embora eles tenham se casado nos anos quarenta, precisamente em 12 de outubro de 1946, imaginem só, dia da criança!
Mas voltando ao caso, ele era bem esperto, usava camisinha, minha mãe sonhou com a maternidade por dois anos e engravidou por descuido ou casualidade, eu nasci em 01 março de 1949, meu irmão nasceu dois anos depois exatamente no mesmo dia em que eu fazia dois anos, meu maior presente de aniversário em toda a minha Vida!
Acho que a Vida tem disso, nos prega peças, pregou em meu pai por duas vezes e satisfez a minha mãe que nos desejou tanto, portanto...
Mas digo aqui com todas as letras, não houve pai melhor, ele foi tremendamente cuidadoso em nossa educação, minha mãe conseguiu realizar os seus sonhos, um casal de filhos e para facilitar, aniversário junto, isso é muito bom, amei ter ganhado de presente um irmão que é um amigo muito mais do que querido, amado demais!
Meu irmão e eu nunca, em momento algum, recebemos quaisquer tipos de agressões, nem sequer um tapa, criamos nossos filhos do mesmo jeito e eles criam os seus também assim, sem nem sequer encostar um dedo para agredir, deu certo, seria bom se todos pudessem ser assim, seria tão bom!
No fim das contas, meu pai acabou achando que foi bem do jeito do final do poema, "...Que coisa linda/ Que os filhos são!"
Também tivemos um lindo casal, meu marido e eu e foi a benção que eu esperava da vida, agora então, com cada qual com o seu casal, nossos netos adolescendo, esperamos poder curtir bisnetos!

Ivone


10 comentários:

  1. Sim eu admiro e respeito isto, até porque, se assim não fosse, hoje eu não estaria aqui a comentar [rs]. Também entendo a opção dos que não desejam tê-los. Muitos não estão à altura desta missão e, assim sendo, acho ser uma decisão sábia não se exporem como aventureiros em uma missão assim.
    Eu sou um destes. Não tenho vocação, não tenho esta aptidão e este dom, assim acho justo não enveredar-me em tal aventura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Paulo, concordo plenamente contigo, nem todos têm a missão de terem filhos, deles ou de adoção, seja qual for a opção, é preciso estar certos do que é isso, são almas que nos passam a serem confiadas, responderemos por eles até quando eles próprios possam caminhar pelas próprias pernas(adultos no caso).
      Amei seu comentário, como sempre, obrigada e abraços bem apertados!

      Excluir
  2. Querida amiga, Ivone!
    O poema é lindo!
    Uma preciosa declaração de amor! Acho que ter filhos é uma "magia"!
    Quem tem, sabe! Eu, nunca saberei!
    Amo crianças! Sou "uma velha criança"!
    Por tudo isso, sou Professora de Educação Infantil e amo "trabalhar" com os pequenos ( faixa 2 anos)
    Beijo carinhoso, feliz semana!

    ResponderExcluir
  3. Muitos tem essa opção de não ter filhos,outros tem por mero descuido,ou por não conseguir encomendá-los,talvez por alguma doença,mas há os que tem por amor e desejo de tê-los como é o meu caso,tive somente uma filha e que me deu um lindo neto,para mim é uma grande dádiva divina.
    Adorei o texto Ivone.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Ivone, obrigadão pelo carinho lá!

    Hoje daqui a pouco nova quimioterapia e após dias de cuidados, mais ainda!

    Mas vamos firmes e confiantes! bjs, chica e INTÉ

    ResponderExcluir
  5. Sou como omPaulo, Ivone: não tenho vocação para ser mãe, por isso optei por não ter filhos, e meu marido, que também não desejava tanto assim ser pai, concordou comigo.
    Aos 37 anos de idade, surpreendi-me com uma gravidez que me assustou, tirando-me do chão. Senti muito medo. Mas tentamos nos acostumar à ideia, contamos a todos na família... e uma semana depois, eu perdi o bebê. Fiquei triste, mas não deprimida, e pensei que não era para ser, então... nunca senti vontade de ser mãe, e já me disseram tantas bobagens por causa disso! Você nem imagina... mas mantive a minha escolha, a minha opção, pois só quem sabe o que é bom para mim, sou em mesma.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, com toda a certeza que, quem sabe de você é você mesma, eu respeito todo mundo, não sigo religião, não recrimino nada,nem nunca recriminei meu pai por ele não querer filhos, embora ele tenha sido um ótimo pai! Nem todo mundo tem vocação para ter filhos, acho até que já é escolha de vidas passadas, sim, porque não? A vida é eterna e podemos voltar tantas quantas vezes precisarmos ou querermos e mudar de idéia e opinião!
      Eu desejei engravidar logo depois que eu casei e de acordo com meu marido, fiquei grávida e exatamente nove meses depois nasceu meu filho.
      Depois disso queria mais filhos e tentei muito e não mais engravidava, quando desisti de tentar engravidei, nasceu minha filha,meus filhos têm diferença de quatro anos um do outro, não mais engravidei, foi muito bom, pois acredito que "meus planos eram mesmo esses dois"!
      Acredito nessas minhas ideia de que tudo tem sua razão de ser, me conformaria se não tivesse meus dois filhos, tanto que até tinha já desistido, pois a vida tem disso.
      Quanto a sua gravidez e ter perdido a criança, acredito até que o espírito desiste, sim, por conta própria, isso é possível, já tive essa revelação em sonhos, tão nítido que quando acordei fiquei até pensando.
      A vida sempre sabe o que faz, nós é que precisamos acreditar na Vida!
      Abraços linda amiga, amei te conhecer mais um pouquinho!

      Excluir
  6. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei ontem, dia 01/12/15, no meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/, que assinala o meu regresso à blogosfera.
    Desde já o meu “Bem hajas!”
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    PS – Desculpa o “copy & paste”

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Ivone, este poema sempre mexeu comigo, e, hoje, o entendo diferente, você me fez analisar melhor. Belíssima a sua história de vida, sua maneira de educar seus filhos seguindo o exemplo de seus pais, creio que no plano espiritual vocês já haviam combinado que viriam a se encontrar como pai e filhos. E, aí, estão. Como fala no poema de V.M. Filhos são lindos. Eu tenho um casal, a menina, mais nova, hoje com 33 anos, nasceu e ficou à beira de morrer, hoje entendo que ela pensou em desistir , pela sua árdua missão que tem hoje, aqui na Terra. Vou parar de escrever , pois acabo falando sobre mim, em seu espaço rssssssss. Grande abraço, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Marli, fale de si no meu espaço, terei imenso prazer em ler e te conhecer melhor, pois as histórias das pessoas nos faz entender melhor a vida.
      Minha amiga querida Marli, acredito que foi mesmo assim, eu também quase morri quando era criança, minha mãe se desesperou, só fiquei bem quando nasceu meu único irmão e isso aconteceu no dia em que eu fiz dois anos, ele foi o meu presente de aniversário.
      Não se sabe nada dos "porquês" em nossas vidas, acho que é assim que tem de ser, se continuamos a viver é por ter de ser assim, sua filha se quis "ir", resolveu ficar para continuar a missão dela, eu também tenho minha missão e a cumpro, para mim é uma boa missão, até costumo dizer que "recebi de presente essa reencarnação"!
      Obrigada linda amiga pelo carinho por aqui e desejo muito sucesso para você com o seu livro!
      Abraços apertados!

      Excluir

Meus amigos e visitantes, obrigada pela visita, se quiserem comentar ficarei muito feliz em ler e visitarei também cada um de vocês em forma de carinho e para manter a amizade que pra mim é fundamental! Abraços apertados!

Ivone H Sato