TRANSCENDÊNCIA.

Minha foto
Meu nome completo é Ivone Henriques Sato, sou casada e feliz por ter encontrado o amor em minha Vida com "V" MAIÚSCULO,como costumo dizer e escrever, aqui deixo meus pareceres sobre a Vida, minha linda e amada Vida que ganhei de presente. Sim, de presente, viver é mesmo um lindo presente, portanto agradeço imensamente, principalmente aos meus familiares queridos, meu casal de filhos, casados, felizes, meus netos amados, dois lindos casais, hoje estão ficando adolescentes, eu, ah, sou uma sexagenária feliz da vida!!!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

O Paradoxo da Leitura.

"O sábio lê livros, mas lê também a vida. O universo é um grande livro e a vida é uma grande escola. (...) Quanto mais leio mais ignorante fico. A escolha que hoje se depara a qualquer homem educado é entre a inocência que não lê e a ignorância que lê muito. (...) É possível sustentar com alguma aparência de exatidão que a imprensa de hoje mata a leitura e a leitura mata o pensamento. Lin Yutang,  "A Importância de Viver" e "Com Amor e Ironia"!
Ler, sempre li muito em minha vida, era o meu melhor divertimento, livros de todos os tipos, romances, mitologia, dos grandes pensadores, aprendi a pensar, hoje não leio tanto quanto antes, mas foram os bons livros que me deram a base para poder, pelo menos mais ou menos, tudo o que escrevo por aqui.
Ah, viver, a Vida bem assim escrita com "V" maiúsculo como gosto de escrever, de dizer, de fazer acontecer, é isso que espero continuar fazendo no ano que começou e já está caminhando com tantos acontecimentos!
Rapidez de tempo? Não, rapidez de desejos de poder viver intensamente, mas que na pressa não se vive nada, nada mesmo!
Então vamos indo, cada dia ao seu dia, cada momento ao seu momento e desejando saboreá-los bem assim, sossegadamente e feliz!
Ler, interpretar o que se lê, sentir também, mas não deixar nada nos paralisar e nos "emburrecer"!
Ando meio sem inspiração, mas como todos sabem, sempre tenho algo para me fazer e quem sabe também, fazer as pessoas pensarem, temos de ter pelo menos isso, liberdade de pensar e exprimir os pensamentos pensados!

Ivone



9 comentários:

  1. Boa noite, querida amiga Ivone!
    Gostei muito do inocente que não lê e o ignorante que lê muito.
    Assim é!
    Bjm ler e viver!
    Assim tudo vake a pena!
    Se faltando inspiração sai assim seu post...
    Felicidades e bênçãos para você!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem
    😘😘😘

    ResponderExcluir
  2. Fico aqui a imaginar com será o dia em que você estiver inspirada. Magnífica reflexão. O ler é ótimo, mas depende do que se lê, como lemos, como absorvemos e como isto pode nos ajudar a viver nossas vidas em plenitude de sabedoria.

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ivone, eu, de novo!

    Um texto muito reflexivo e inteligente.

    Ler é aprender e eu li muito nos tempos da adolescência e da faculdade. Li livros, que nunca mais esqueço, e outros, que me passaram ao lado, completamente.

    Qdo lia excessivamente e ainda hoje, k leio menos, faço meu juízo de valor qto à temática abordada e tenho minha opinião, obviamente. Mtas vezes, não estou de acordo com as ideias do escritor, nem com a forma como ele desenrolou o assunto, mas outras vezes estou. Não sou facilmente influenciável e por isso leio qdo me apetece, sabendo daí tirar minhas conclusões.

    Beijos e dias felizes.

    ResponderExcluir
  4. E fato, quando se lê muito fica-se com preguiça de pensar e temos ideias de autores, revisores e editores. Mas hoje passei o dia em pesquisas e nem sei o que dizer à você, rs. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. Olá querida Ivone!!!
    Adoro livros! Fico sempre ansiosa pelas férias, quando pego os livros da minha lista e começo a ler sem parar. Entre o Natal até ontem li três livros maravilhosos: "Lisboa, guerra nas sobras" - de Neil Lochery; "A vida secreta das árvores"- de um autor alemão fantástico; e "Uma estrela na escuridão", que conta a história de luta pela sobrevivência de Andor Stern, o único brasileiro que sobreviveu ao Holocausto, passando por vários campos de concentração nazistas, é de arrepiar!
    Adorei a leitura por aqui, sempre a calhar.
    Bjs

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ivone. Adoro ler, e Lyn Yutang é muito sensato. Tenho esse livro, que minha mãe me deixou.

    Sabe, eu ando ansiosa. Tenho começado muitas leituras ao mesmo tempo e tenho estudado sobre coisas novas que foram surgindo - imagine, de repente entraram na minha vida coisas como tarôt, cristais, cromoterapia. Não convidei, elas foram entrando. Não sei o que fazer com elas ainda. mas é tanta coisa para estudar, que temo que não terei tempo.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Ivone!
    Gostei imensamente dessa postagem, pois como você sou leitor assíduo e, penso que para se ler devemos escolher o tema que nos agrada, seja em romance, contos, crônicas e poemas. No Brasil, como você sabe, temos escritores excelentes nessas áreas.
    Uma ótima semana.
    Beijo
    Pedro

    ResponderExcluir
  8. olá Ivone, concordo totalmente com a tua reflexão, os livros além da educação formal nos completam e fornecem um visão de vida mais plena e livre de preconceitos, porque esclarecem e mostram os motivos e os porquês da vida. Eu só consigo me entender e entender os outros lendo e escrevendo. bjs amiga

    https://coisas-da-je.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Cara e sábia amiga Ivone, também li muito na minha juventude. Li mais os gêneros romance, conto, crônica e poesia. Na minha criancice e adolescência via o livro como um objeto sagrado e quando trocava ideias sobre leitura com alguém era como entrar no céu. Ultimamente, também ando com pouca inspiração, haja vista, minha escassez de postagens, mas acho que isso vai passar. Minha abração daqui do sul. Tenhas, sei que terás, um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir

Meus amigos e visitantes, obrigada pela visita, se quiserem comentar ficarei muito feliz em ler e visitarei também cada um de vocês em forma de carinho e para manter a amizade que pra mim é fundamental! Abraços apertados!

Ivone H Sato